17/12/2012

Todos a LeR+ «» 1ª Paragem de Leitura



No dia 11 de dezembro, pelas 14.30h realizou-se, pelo terceiro ano consecutivo, nas escolas de 1º ciclo e jardins-de-infância a 1ª Paragem de Leitura. Alunos, professores e funcionários pararam as suas atividades para ler durante 15 minutos.
As Bibliotecas Escolares selecionaram e disponibilizaram uma coletânea de poemas sob a temática O Natal ficando ao critério de cada professor a escolha das leituras.
Aqui estão alguns momentos aLeR+...




13/12/2012

Natal na Escola Secundária Dr. Júlio Martins

Na Biblioteca:





No Espaço Arte:
Trabalhos dos alunos de 3º ciclo nas disciplinas de Língua Portuguesa, Francês, Educação visual e Educação Tecnológica


Feira do Livro Infantil Usado



Decorreu, na Escola Básica de Santa Cruz Trindade, entre os dias 3 a 7 de dezembro, a VII Edição da Feira do Livro Infantil Usado, promovida pela Biblioteca Escolar, no âmbito do Projeto aLer+ e em colaboração com a Associação de Pais do Agrupamento.
A cooperação e a participação das famílias e professores tornaram-se imprescindíveis para o sucesso da feira. Os livros doados apresentavam-se, no geral, em bom estado de conservação. Os preços de venda oscilaram entre os 0,50€ e os 3€ e garantiram uma boa receita para aquisição de livros novos para a BE.  Devido à  forte adesão à feira, constatámos que os alunos e comunidade educativa continuam recetivos e entusiasmados com o evento.
Obrigada a todos pela vossa colaboração e participação.



11/12/2012

Mural contra o preconceito

Durante a semana de 3 a 7 de dezembro, semana da luta contra a SIDA, os alunos da escola Dr. Júlio Martins responderam ao desafio lançado pelas equipas do PES e das BE e encheram o mural colocado no corredor da biblioteca com frases dedicadas à luta contra o preconceito que ainda muitas vezes persegue os portadores de HIV. 



Paragem aLeR+ - Pré-escolar e 1º ciclo


09/12/2012

Boletim Informativo das BE - nº2



A Restauração da Independência - Clube de Teatro

A Oficina de Teatro que existe na EB Nadir Afonso, e que integra alunos de várias turmas do 5º e 6º anos, apresentou na passada quinta-feira, na EB de Santa Cruz Trindade, aos colegas dos 3º e 4º ano uma pequena dramatização: “A Restauração da Independência”.
O texto da autoria da professora Sofia Mendonça, responsável também pela dinamização da Oficina, aborda um conteúdo da História de Portugal lecionado em diferentes anos, pelo que esta atividade de articulação entre ciclos se revelou proveitosa, não só pelas aprendizagens associadas ao currículo das áreas de Estudo do Meio e História e Geografia de Portugal mas ainda pelo desenvolvimento de outras competências (a expressividade, a memorização, a exposição em público, a dicção e projeção de voz…), junto dos alunos inscritos,  inerentes à participação numa Oficina deste género.




07/12/2012

Concurso de receitas

Foram divulgados os resultados do concurso de receitas com a exposição, no átrio da Escola Básica de Santa Cruz Trindade, das 9 melhores receitas que contemplam produtos da região.
Parabéns a todos os participantes. Como prémio os vencedores podem ver as suas receitas expostas e transformadas num e-book que abaixo divulgamos.

 


06/12/2012

Clube de Espanhol


CLUBE DE

ESPANHOL



Ven aprender español con nosotras:

Prof. Cátia Valéria:
Segunda-feira, das 16:50 às 17:35
Prof. Cristina Santos: 
Terça-feira, das 11:50 às 12:35
Quinta-feira: 15:05 às 15:50

Prof. Cristina Brás:
Sexta Feira , das 11:50 às 12:35

Ação de Formação PORDATA/RBE



Realizou-se ontem, dia 5 de dezembro, na Escola Secundária Dr. Júlio Martins, uma ação de formação promovida pela Pordata e pela  RBE, com a colaboração das bibliotecas escolares.

O grande impulsionador desta iniciativa foi, à semelhança dos anos anteriores, o professor Paulo Santos, da equipa das bibliotecas escolares do agrupamento, tendo mobilizado professores das áreas de economia e geografia e alunos do 10º, 11º e 12º anos da área de economia.  Estiveram presentes alunos das turmas 10ºD, 11ºD, 11ºE e 12ºD e os professores Paulo Santos, José Eduardo Pinto e Amélia Reis.

Todos consideraram a ação muito produtiva e interessante e o formador, Dr. Bernardo Gaivão, da Fundação Francisco Manuel dos Santos, elogiou o empenho dos alunos.

O passo seguinte será aproveitar os conhecimentos adquiridos e realizar trabalhos, dos quais será selecionado um para enviar ao concurso nacional.


04/12/2012

TOP + Leitores e Leituras

Leitores
1º ciclo :
Cláudia Trinta Nogueira – 4ºA
2º ciclo:
Daniel Luzio Castelo - 6º I
 3º ciclo:
Tânia Catarina T. Martins – 7º F
 Secundário:
Ana Margarida A. Salgado – 10º C

Leituras
E.S. Júlio Martins
Sexta-feira ou a Vida Selvagem (Michel Tournier)
As Gémeas (Enid Blyton)
O capitão Cuecas (Dav Pilkey)

E.B. Nadir
Coleção Uma Aventura (Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada)
O diário de um banana (Jeff Kinney)
A Montanha Falante, Tea Stilton

E.B. Santa Cruz Trindade
Os primos e a bruxa Cartuxa (Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada)
O concurso da escola (adap. Judy Katschke)
O gato que amava a mancha laranja (Elza Mesquita e Ana Pereira)

Autora de dezembroAgustina Bessa-Luís


eituras-cruzadas.blogspot.com
Agustina Bessa-Luís

Descendente, pelo lado de seu pai, Artur Teixeira de Bessa, de uma família de raízes rurais de Entre Douro e Minho, desde muito nova que Agustina se interessou por livros, começando por ler alguns da biblioteca do avô materno, Lourenço Guedes Ferreira. Foi através destas primeiras leituras que tomou contacto com alguns dos melhores escritores franceses e ingleses, os quais lhe despertaram a arte narrativa. Em 1932 vai para o Porto estudar, onde passa parte da adolescência, mudando-se para Coimbra em 1945 e, a partir de 1950, fixa definitivamente a sua residência no Porto.
Estreou-se como romancista em 1948, ao publicar a novela Mundo Fechado, mas seria o romance A Sibila, publicado em 1954 que constituiu um enorme sucesso e lhe trouxe de imediato reconhecimento geral. E é com A Sibila que Bessa-Luís atinge a total maturidade do seu originalíssimo processo criador. Ler mais >>

Sugestão de Leitura

"Fanny Owen"

pertempusap.blogspot.com

Fanny Owen é o relato de uma história de amor que deve a sua genialidade à mistura perfeita de vários ingredientes: por um lado, o domínio da língua demonstrado pela autora, caracterizado por um tom intimista e real. Por outro lado, o reflexo claro e contundente da sociedade retratada no romance. A decadência da burguesia desenha os seus traços em cada linha, em cada página. E tudo isso gira em torno da essência humana, nas suas expressões mais sublimes e mais desventuradas.

José Augusto, homem rico e culto, enamora-se de uma mulher inglesa. O escritor Camilo Castelo Branco, seu amigo, confessa-lhe ter mantido uma relação epistolar com ela. Cego de ciúme, José Augusto não consuma o casamento. A jovem deixa-se morrer e o resultado da autópsia revela que era virgem. A história tem um desenlace terrível, revelador da dilacerante ironia da vida.




5ª Edição do Concurso Inês de Castro


O Concurso Inês de Castro visa promover o conhecimento dos contextos e lugares históricos, geográficos, sociais, políticos, económicos, literários e afetivos que se relacionam direta ou indiretamente com o romance de D. Pedro e de D. Inês.

Na sua 5ª edição (ano letivo 2012/2013), o Plano Nacional de Leitura e a Fundação Inês de Castro, com o patrocínio da YDreams e com a colaboração do Diário de Coimbra, desafiam as escolas a criarem um jornal digital/ jornal online baseado nos «Percursos de Pedro e Inês».

Consulte o regulamentoVeja o cartaz do Concurso. Para mais informações, é favor contactar a Biblioteca Escolar.


Poema de dezembro


Dia de Natal
Hoje é dia de ser bom.
É dia de passar a mão pelo rosto das crianças,
de falar e de ouvir com mavioso tom,
de abraçar toda a gente e de oferecer lembranças.

É dia de pensar nos outros— coitadinhos— nos que padecem,
de lhes darmos coragem para poderem continuar a aceitar a sua miséria,
de perdoar aos nossos inimigos, mesmo aos que não merecem,
de meditar sobre a nossa existência, tão efémera e tão séria.

Comove tanta fraternidade universal.
É só abrir o rádio e logo um coro de anjos,
como se de anjos fosse,
numa toada doce,
de violas e banjos,
Entoa gravemente um hino ao Criador.
E mal se extinguem os clamores plangentes,
a voz do locutor
anuncia o melhor dos detergentes.
(…)
Nas lojas, na luxúria das montras e dos escaparates,
com subtis requintes de bom gosto e de engenhosa dinâmica,
cintilam, sob o intenso fluxo de milhares de quilovates,
as belas coisas inúteis de plástico, de metal, de vidro e de cerâmica.

Os olhos acorrem, num alvoroço liquefeito,
ao chamamento voluptuoso dos brilhos e das cores.
É como se tudo aquilo nos dissesse directamente respeito,
como se o Céu olhasse para nós e nos cobrisse de bênçãos e favores.

A Oratória de Bach embruxa a atmosfera do arruamento.
Adivinha-se uma roupagem diáfana a desembrulhar-se no ar.
E a gente, mesmo sem querer, entra no estabelecimento
e compra— louvado seja o Senhor!— o que nunca tinha pensado comprar.

Mas a maior felicidade é a da gente pequena.
Naquela véspera santa
a sua comoção é tanta, tanta, tanta,
que nem dorme serena.

Cada menino
abre um olhinho
na noite incerta
para ver se a aurora
já está desperta.
De manhãzinha,
salta da cama,
corre à cozinha
mesmo em pijama.

Ah!!!!!!!!!!

Na branda macieza
da matutina luz
aguarda-o a surpresa
do Menino Jesus.


Jesus
o doce Jesus,
o mesmo que nasceu na manjedoura,
veio pôr no sapatinho
do Pedrinho
uma metralhadora.

Que alegria
reinou naquela casa em todo o santo dia!
O Pedrinho, estrategicamente escondido atrás das portas,
fuzilava tudo com devastadoras rajadas
e obrigava as criadas
a caírem no chão como se fossem mortas:
Tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá.

Já está!
E fazia-as erguer para de novo matá-las.
E até mesmo a mamã e o sisudo papá
fingiam
que caíam
crivados de balas.

Dia de Confraternização Universal,
Dia de Amor, de Paz, de Felicidade,
de Sonhos e Venturas.
É dia de Natal.
Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade.
Glória a Deus nas Alturas.

António Gedeão